Primeiro dia da feira Nacional do Amendoim supera expectativas

Programação continua hoje e amanhã, 16 e 17, com palestras, Dia de Campo, exposição de máquinas e implementos, presença de empresas do setor, gastronomia e shows

Posters com trabalhos científicos, palestras com pesquisadores de renome nacional e internacional e muita troca de informações deram a tônica do XVI Encontro sobre a Cultura do Amendoim, que faz parte da Feira Nacional do Amendoim. O evento começou ontem, superando as expectativas dos organizadores. Empresas com seus portfólios, máquinas na área de exposição, concessionárias de veículos e produtores em busca de conhecimento e de novos produtos caracterizaram a parte comercial da Feira. A realização contou, ainda, com a parte de lazer, dividida entre os shows da cantora Gabi Viola e de Guilherme Tenório Violeiro e Cantador, e a gastronomia, que inovou com receitas doces e salgadas à base de amendoim. Técnicos, acadêmicos, empresários, produtores e membros da comunidade circularam pela Estação de Eventos Cora Coralina, em Jaboticabal, ao longo do primeiro dia da Feira Nacional do Amendoim.

A abertura do evento aconteceu na parte da manhã, com a presença de lideranças políticas, militares, acadêmicas e do setor agrícola, que parabenizaram a iniciativa de promover um evento que valoriza toda a cadeia produtiva do amendoim e que estreita os laços entre o campo e a universidade, bem como revela para a sociedade o importante papel do produtor rural e do agronegócio brasileiro.

Palestras
A primeira palestra do dia foi sobre a “Câmara Setorial do Amendoim”, com o engenheiro agrônomo Luiz Antônio Vizeu, presidente da Câmara Setorial; “Produção integrada do amendoim” foi o tema seguinte, abordado pelo pesquisador da Embrapa Algodão, Augusto Guerreiro Fontoura Costa. Na sequência, “Carvão do amendoim no Brasil. O que é fato e ficção?” foi a pergunta lançada por Dartanhã José Soares, pesquisador da Embrapa Algodão. “Resistência genética do amendoim ao carvão” foi o tema abordado por Jorge Javier Baldessari, pesquisador científico do INTA Manfredí.

As palestras continuaram durante a tarde. A primeira foi com o professor Rouverson Pereira da Silva, da FCAV/Unesp Jaboticabal, que falou sobre “Dimensionamento e gerenciamento de frota para aumentar produtividade e reduzir custos”. Já “Iniciativas para o controle do percevejo-preto em amendoim” foi o tema debatido pelo pesquisador Científico da APTA de Pindorama, Marcos Doniseti Michelotto. As “Perspectivas mercadológicas da cultura do amendoim, segundo a visão das cooperativas” contou com a exposição de José Antonio Rossato Junior, presidente da Coplana – Cooperativa Agroindustrial; Augusto Cesar Strini Paixão, gerente da Unidade de Grãos da Copercana; e Júlio Carlos de Arruda, diretor superintendente da Casul. Uma Mesa Redonda mediada pela pesquisadora do Instituto de Economia Agrícola, Renata Martins Sampaio encerrou o ciclo de palestras do primeiro dia da Feira.

Nesta sexta-feira
Hoje, o evento continua com a Feira de Máquinas e Insumos e exposição do setor durante todo o dia e também à noite. As palestras na parte da manhã foram sobre: “Gerenciamento da contaminação de aflatoxinas na cadeia produtiva do amendoim”, com a professora Maria Antônia Calori Domingues, da Esalq/USP; “Estresse hídrico na cultura do amendoim”, com o pesquisador científico do INTA Manfredí, Ricardo Javier Haro; e “Tecnologias para atenuar o efeito de altas temperaturas e déficit hídrico na cultura do amendoim, com o professor Carlos Alexandre C. Crusciol, da Unesp Botucatu; Houve ainda a premiação dos trabalhos e encerramento da parte teórica do XVI Encontro sobre a Cultura do Amendoim. À tarde tem Dia de Campo na Fazenda Experimental da FCAV/Unesp Jaboticabal, e, à noite, exposição de artesanatos, gastronomia e shows de Caio Rodrigues e Banda Gibão de Couro.